Loading...

Como tudo começou

Home / Como tudo começou

Orga, de organização, de orgânico.

Nem tão precoce quanto a Marie Kondo, que já organizava a casa da família com 5 anos de idade, despertei meu interesse por organização aos 9 e o que mais me chamava a atenção também eram os armários, com suas diversas possibilidades de categorização de itens e a facilidade que isso trazia à rotina diária de uma casa. O olhar esteta também levava minhas mãozinhas a mexer com outras coisas no meu quarto, que até os 11 anos foi de filha única. Vaidosa, mas sem exageros, sempre gostei do que é belo, fosse numa casa, numa pessoa ou no entorno do bairro, nos livros e no que via na TV sobre o mundo.

A paixão por organizar e encontrar nisso um resultado harmônico e quase artístico deu eco lá em 1996, quando ainda morava em Porto Alegre, minha terra natal. Vi no Pequenas Empresas, Grandes Negócios uma moça que arrumava roupeiros e tinha isso como profissão. Era a onda de Professional Organizing chegando dos Estados Unidos, para somente após muitos anos invadir o País a ponto de ter inúmeras profissionais formadas por escolas de especialização na área – as personal organizers.

Empolgada com a ideia, abri aos 23 anos a Dobra’s, especializada em organização de armários e afins. Eu e meu sócio operamos com a empresa por 6 meses e depois a fechamos, pois a jovem e impulsiva Greice também queria ser publicitária. A área de Comunicação me acompanharia por 15 anos contínuos, somada a uma veia empreendedora de família e reforçada pela graduação prévia em Administração. Em 2015 viria um esgotamento justo e digno de atuar nessa área que tanto amei, o que acabou por desembocar em um coaching de transição de carreira e no resgate deste amor à ordem e à beleza de modo profissional.

Nice, de agradável (in English), de harmônico.

Ainda pequena, também pedia que meu pai me trouxesse encartes relacionados a Astrologia, I ching, Tarot e outros temas do gênero que já me chamavam a atenção desde muito cedo. Mas foi só em 1998 que começaram as leituras sobre o Feng Shui, essa arte milenar chinesa que viria para ficar em minha vida pessoal e profissional, juntando-se ao impulso de organizar e decorar. Em 2002 veio a formação com o mestre I Ming, chinês radicado no Brasil, consultor de muitas personalidades. Depois disso consultorias de FONGSUEI (pois é, a pronúncia é essa) foram prestadas a amigos, em um primeiro momento sem custo e, aos poucos, cobrando por isso.

Dez anos depois de me enfronhar no alinhado universo chinês, meus pés me levariam à Europa, para ver de perto a ordem, a limpeza e a beleza condensados em séculos de história, de arte e do apreço de um povo por seu ambiente. Harmonia, charme, leveza, zelo… o primeiro choro dessa alegria seria em Milão, para depois se estender por outras emoções e passeios, em mais de uma ocasião.

Filha de artista plástico, irmã de designer, histórico paralelo de escritora, não seria difícil encontrar razões que me levariam à decisão de criar algo NOVO, híbrido e impactante, que trouxesse às pessoas uma reflexão sobre o poder do código, sobre como o significado de cada coisa em nossas vidas pode nos afetar negativa ou positivamente. Ansiava por mostrar a todos que somos capazes de, SIM, reprogramarmos nossas realidades com pequenas e poderosas mudanças.

Cheguei, então, a 2015, onde apoiada por minha coach Elis Dias, incentivada por meu irmão e sócio e contando com a parceria de amigas personal organizers, vieram os primeiros labs e a consolidação de um conceito que abrigaria três frentes de trabalho: alinhamento + organização + decoração, fazendo nascer uma marca e um serviço que simbolizam toda essa trajetória.

Como em quase tudo que eu crio, o nome veio do gosto por trocadilhos, fruto das experiências criativas vividas em agências. O corpo de ideias também contou com muitos winestormings ao lado de meu mano Geison Munhoz, criador da expressão e também de nossa marca.

Projeto formatado e materializado, agora é hora de DESENHAR HARMONIA!